Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

DUAS COMPREENSÕES SOBRE O PAPEL DE MALKUT

Por Mario Sales



“O papel da sefira de Malkut é receber e transmitir para as sefirot. A conexão entre a sefira Malkut com Yesod é em duas direções. Malkut recebe de Yesod e transfere aos seres criados, e por sua vez recebe destes e retransmite a Yesod. A sefira de Yesod transmite o que recebe de Malkut em direção as alturas espirituais, até alcançar a raiz mesma de cada ação. ”
O Zohar, traduzido, comentado e explicado,
in Introdução ao Estudo da Cabala em Geral,
As Sefirot, pág. 52, 4ª edição de julho de 2014, volume 1,
 tradução: projeto Amós, Ediciones Obelisco, Barcelona, Espanha


Eu sempre defendi que, sendo a criação o espelho de Deus, o raio de luz da criação proveniente do Altíssimo retornava a Ele, levando seu reflexo.
Foi com tristeza que li os comentários de Arieh Kaplan nas explicações de um versículo do Bahir, em que o rabino defendia a tese de que Malkut recebia e recebia, apenas, inseminada pelas sefirot mais elevadas por intermédio de Yesod. Que Malkut era passivo, feminino, enquanto o Zeir Anpin acima dela era masculino, ativo, e sua ação sobre Malkut era predominante.
Tristeza porque um dos axiomas que trago comigo é que o Universo é fluxo, movimento, de forma que qualquer que seja a instância discutida, pessoas ou dimensões, estas não podem apenas receber, mas com certeza esboçam, em função deste estímulo, alguma reação, mesmo que não igual em intensidade ou qualidade.
Ler, em uma autoridade indiscutível do Cabalá, que Malkut, aonde vivo, é área só de recepção, não fazia nenhum sentido.
E aí começo a ler este presente dos Deuses que chegou as minhas mãos, dezenove volumes de uma coleção de trinta e dois planejados, da Ed. Obelisco de Barcelona.
E logo na introdução, aonde eles têm o cuidado de dar noções básicas sobre a Cabalá, produzem este belo trecho em epígrafe que autoriza minha interpretação, já que se trata de um grupo realizando o exaustivo trabalho de revisão do Zohar desde 2006.

A mensagem é clara: existe troca, retroalimentação, de forma que Malkut também se expressa e devolve como informação aquilo que recebe como estímulo a vida.