Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

O ESTOFO DAS AMIZADES

Por Mario Sales,FRC,SI




Não se pode discutir com pessoas que não concordam conosco a não ser no âmbito da ciência e munido das evidencias que possam embasar nossa posição.
Na vida do senso comum, entretanto, nem com evidências nas mãos podemos ter uma conversa civilizada que convença nosso interlocutor de coisas nas quais ele não deposita confiança.
Conversar com alguém que concorda conosco é como encontrar com alguém em um hotel e, durante um café, fazer uma nova amizade. No decorrer desta conversa, comparamos nossas experiências turísticas e é como se tivéssemos visitado os mesmos monumentos, as mesmas cidades, os mesmos museus.
Pessoas que concordam, mesmo que não se conhecessem antes, tiveram trajetos semelhantes em períodos diferentes de vida. Depois, ao conversarem é como se mostrassem cada um, fotos dos mesmos locais um para o outro.
Ninguém chega a um relacionamento de mãos vazias.
Todos nós temos uma bagagem.
É muito bom quando nossas bagagens são semelhantes a do nosso interlocutor.
Goethe dizia que gostava de conversar com pessoas que divergissem dele, de forma a melhorar e ampliar sua visão de mundo, sua retórica, seus argumentos.
Concordo. Nada disso é, no entanto, prazeroso. Parece mais com um exercício, como a esgrima, em que cruzamos floretes com elegância, mas com virilidade, competitivamente.
Já o encontro de almas afins é sempre acalentador e comovente.
Aquece o coração e o espírito.
Fortalece nossa crença de que sempre, queiramos ou não, existe um grau especifico de pertencimento que carregamos conosco, na maioria das vezes inconscientemente, e que uma vez percebido, tornado manifesto, nos posiciona no mundo e na vida social.
É assim que nascem fortes amizades.
Como no ditado árabe: “enquanto só perceberes as diferenças entre as coisas, teu conhecimento não valerá uma rúpia. A sabedoria só vem quando se começa a ver entre todas as coisas suas semelhanças. ”
É isso