Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sábado, 4 de junho de 2011

PARA QUE SERVE A ORAÇÃO?



por Mario Sales, FRC.:, S.:I.:;M.:M.:

"Já que não sei rezar , só queria mostrar

meu olhar, meu olhar, meu olhar."

trecho de um poema de Renato Teixeira


A questão procede.

O salmista já dizia: "Tu sabes o que vai no meu coração antes que meu lábio pronuncie qualquer palavra"(Salmos 139 : 4)


 



Se o Senhor do Universo já conhece nossas intenções antes de nós, para que precisamos explicitá-las?

Ao contrário do que supomos, a Oração não é um conjunto de palavras ou uma informação ao Todo Poderoso de nossas intenções, desejos ou aflições.
Orar é entrar em um estado de conexão.
É colocar-se em contato com a Fonte de toda a Vida.
Pode-se fazer isso em silêncio, como na meditação. Pode-se fazer isso falando, como pela oração. Só que, desde que estejamos na freqüência certa, mesmo as palavras que usemos deixam de ser importantes. Oramos com o coração, não com o cérebro, muito menos com a boca. O que verdadeiramente importa é fundir a nossa vontade com a vontade de Deus, e isto é o que se chama conexão.

Alguns anos atrás, um dos meus conflitos enquanto rosacruz na prática Martinista foi conviver com a idéia de fé. Como rosacruz, fui educado no conceito de confiança, rejeitando a idéia da fé como limitada e restrita à prática religiosa.
Qual não foi meu embaraço quando em pleno templo ouvi um discurso sobre a importância da fé na vida mística. Por lealdade à Rosacruz, que assumiu a responsabilidade pela manutenção da Tradicional Ordem Martinista, calei-me e relevei minhas dúvidas.
Até que fui confrontado com outro discurso que falava exatamente sobre a noção de fé, mas como conexão. Senti-me regenerado.
Esta idéia eu poderia aceitar. A oração como técnica e a fé como representação da qualidade desta conexão com o Altíssimo.

Assim oramos para nos conectarmos e derramarmos no colo de Deus nossas aflições, não como um pedido, mas como um compartilhamento com a Fonte de nossas experiências, enquanto assistimos a ação de Seu Divino Poder transformando problemas em soluções, angústias em revelações, aparentes derrotas em vitórias espirituais.
Precisamos ir a Deus como vamos ao Google, em busca de respostas. E uma vez que iniciemos nossa pesquisa, aguardar paciente que nos cheguem as inúmeras possibilidades de solução para o que antes não parecia ter jeito.
 Nosso maior erro é supormos que estamos sós frente à existência e suas mazelas; não estamos. Resta usufruir de nosso Companheiro, "telefonando" vez ou outra para perguntar-lhe o que fazer.
 A Oração nos permite estas ligações.
 Esta é sua função.