Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sábado, 6 de abril de 2013

"A MAÇONARIA" NÃO EXISTE


por Mario Sales


Raciocinem comigo.
Pensemos no exército de um país, o exército israelense, por exemplo. Disciplinado, organizado de modo hierárquico, exposto a vizinhos belicosos e ao ódio de muitos dos que fazem fronteira com seu país, trata-se de uma instituição absolutamente treinada para trabalhar em conjunto, como um único organismo, de modo eficiente e rápido. Existem milhares de soldados, homens e mulheres, no seu conjunto. Isto não impede que desempenhem seu papel como um grupo coeso e uno. O exército Israelense é uma Instituição real.


Agora pensemos em uma Instituição não militar, a Igreja Católica Apostólica Romana.
Composta também de uma hierarquia , ela tem milhares de membros e milhões de seguidores em todo o planeta. Sua organização interna possui protocolos que são seguidos em todas as igrejas que fazem parte de sua estrutura física e institucional. Sujeita a ter que conciliar visões internas diferenciadas de como atingir o objetivo de intermediar a Obra de Deus, como por ela compreendido, na face da Terra, brilhantemente instituiu a estratégia das Ordens, segmentos dentro da própria Igreja, com diferenças operacionais muito marcantes, como as entre Jesuítas e Franciscanos, Trapistas e Dominicanos. Mesmo assim, a Igreja, como instituição e organização, necessita de uma atuação coesa e isto é garantido pela liderança do Papa, que estabelece seus rituais, auxiliados por seus cardeais, arcebispos e bispos.
A Igreja, por mais diferenças internas entre suas ordens , por mais Universal que seja ( que é o significado da expressão "católica") é apenas uma sob a liderança de seu Comandante em Chefe. A Igreja, como instituição e organização existe.
Agora vejamos a Ordem Maçônica, conhecida como Maçonaria. Desde os tempos de sua fundação, por volta do ano mil da era cristã, como um sindicato de pedreiros construtores de Igrejas, que guardavam segredo de suas técnicas por motivos meramente profissionais e não ocultistas ou místicos, atravessou Mil Anos de modificações internas e externas.
Dividiu-se em vários ritos (mais de duzentos) que não prestam obediência ao mesmo Comandante em Chefe; seus rituais foram modificados, modernizados e depois, retificados, na busca de fidelidade aos modelos mais antigos; suas lojas são autônomas, e embora exista semelhança entre os símbolos e as premissas sociais e filosóficas, têm liberdade para interpretar de outro modo, se assim o desejar, algumas das noções básicas de sua história.


Criou-se a noção de Obediências, um conjunto de Lojas que se submete a direção de um único Grão Mestrado, e assim se constitui em Potência. Porém, em todo o mundo, e mesmo em nosso país, são muitas as potências, são muitos os comandantes em chefe desta mesma Ordem, cada um reivindicando para si uma legitimidade e uma fidelidade aos princípios desta Ordem que, em princípio, possui agora uma névoa forte a envolver seu passado e sua origem.
Como instituição única, com rituais diferentes, praticados por potências diferentes, a única coisa certa sobre a "Maçonaria" é de que ela não é uma única instituição, mas sim o nome de um enorme e variado conjunto de instituições espalhada pelos quatro cantos do planeta, em busca de uma unidade perdida sabe-se lá a quanto tempo.
"A Maçonaria" não tem um líder, mas vários.
E embora a sociedade e mesmo maçons pensem de outra forma, "A Maçonaria", como organização, não existe. Existem apenas os maçons, em diferentes ritos, em diferentes países e potências dentro destes países.