Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

terça-feira, 13 de setembro de 2011

ANÁLISE DE UM SÍMBOLO SECRETO ROSACRUZ DOS SÉCULOS XVI E XVII EM 3 PARTES: 3a PARTE



Por Mario Sales, FRC.: , S.:I.: , M.:M.:

Reiniciemos nossos trabalhos de interpretação com as citações laterais do Símbolo em análise. Como vimos na 2ª parte são 4 citações correspondentes aos quatro evangelistas e mais duas intermediárias, duas pequenas frases, as quais aludem a impossibilidade da razão de penetrar a essência da realidade.
Apenas para lembrar as citações são:
1ª. Por toda a parte Deus é livre dentro e fora de todas as criaturas.
DEUS. Medida de tempo da Natureza.Anjo com seis asas.
2ª. “A mente externa e interna, sem a luz divina não poderás encontrar”.
3ª. Deus é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim.
PAI.
Medida do tempo da Lei. Leão com seis asas.
4ª. E não há Deus senão o Deus Único. ESPÍRITO SANTO. Tempo do comprimento. Águia com seis asas.
5ª. Só o espírito sabe. A Razão encarnada é cega.
6ª. Deus é o primeiro e último. FILHO. Tempo do Evangelium. Boi com seis asas.



Falamos antes da Liberdade de Deus, e em seguida da representação dos evangelistas na figura de animais (Anjo, Leão, Águia e Boi como Mateus, Marcos, João Lucas).
Em seguida examinamos o grave problema da tradução de expressões místicas e da importância de ser um místico o tradutor e não um lingüista, já que, quando é um místico que faz a tradução, não se comete o engano de fazer a tradução baseando-se em pressupostos de outro universo do conhecimento, a filosofia.
Ainda sobre a segunda citação analisada, poderíamos falar também de uma análise espacial do símbolo e da relação dos trechos com a sua posição em relação ao desenho.
Lembremos a posição da 2ª e da 5ª citações no desenho, abaixo.



Observem que a primeira parte da frase:
“A essência das coisas, (e não o Espírito ou a Mente) no interior e no exterior, sem a luz divina não poderás encontrar”, está próxima da palavra Jesus, correlacionando o nome do Mestre à idéia de inspiração da Luz Divina.
A segunda parte: “Só o espírito sabe. A razão encarnada é cega”, está próxima da palavra Lúcifer, correlacionando a Razão com a Falsa Luz, o Intelecto, aquele que tudo justifica, até o Mal, e que não é capaz, por suas naturais limitações, de dar senão uma visão parcial da Verdade.
Continuemos.




A 3ª. : Deus é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim.
PAI. Medida do tempo da Lei. Leão com seis asas.
Quanto ao fato de Deus ser princípio e fim do Universo não há maiores comentários a fazer.
E na citação Medida do Tempo da Lei aplica-se aqui o mesmo modelo interpretativo da frase Medida do Tempo da Natureza, ou seja, se Deus é eterno, a Natureza também o é, e a Lei Cósmica, da mesma maneira é Eterna, sendo, portanto tão duradoura quanto o Criador.
A palavra PAI, metáfora mais usada pelo Cristo em seu ministério terreno, correlaciona-se muito bem com a idéia da Lei, já que as famílias da época eram patriarcais e era ao Pai que se davam as responsabilidades de aplicar a disciplina aos seus filhos e a toda a casa.
Não sei ainda e deixo aos que me lêem verificar se existia alguma intenção oculta na correlação entre o Evangelista-Leão, Marcos, e assuntos correlacionados a aplicação da Justiça Divina. Se o seu evangelho tinha uma ênfase especial neste aspecto ou não. Isto não analisarei.




4ª. E não há Deus senão o Deus Único. ESPÍRITO SANTO. Tempo do comprimento. Águia com seis asas.
A citação “não há Deus senão o Deus Único”, presente também no Corão Islâmico, (“Só existe um Deus e seu nome é Alá, e Maomé é seu profeta”), configura uma declaração sobre a Unidade da Criação, e seu funcionamento sincrônico e articulado, em qualquer área do espaço tempo. Aqui o simbolista fala do Tempo do comprimento, uma expressão curiosa que entendi como a noção espaço temporal dos nossos dias e que, na época, só poderia ser expressa assim mesmo, já que comprimento reflete Espaço, enquanto a palavra Tempo fala da outra dimensão.
Tempo do Comprimento e Espaço Temporalidade são a mesma e a única coisa, Onipresença Espaço Temporal, Presença de DEUS em todas as coisas, em todos os instantes, passado e futuro, Espírito de Tudo, ou , como é dito no símbolo, o Espírito Santo.
Sobre a Águia: João , o Evangelista Místico, o homem que escreve "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus", o Verbo aí, entendido como Jesus, o Cristo, manifestação de Deus na Terra, vem associado de maneira correta ao nome do Cristo Místico, o Cristo Iluminado, Graça Divina que se fez carne.
E já que o quinto texto já foi analisado, vamos ao 6° texto:




6ª. Deus é o primeiro e o último. FILHO. Tempo do Evangelium. Boi com seis asas.
Aqui novamente reafirma-se a antiguidade e a presença eterna de Deus, e imediatamente indica-se o FILHO, de forma a mostrá-lo como identificado ao PAI. Imediatamente fala-se no tempo do Evangelium, mostrando que a presença do FILHO manifesta-se através dos textos bíblicos no Novo Testamento, os sinais e termos para a Nova e Eterna Aliança, celebrada pelo Cristo Jesus com toda a Humanidade.
O Boi de 6 asas remete a Lucas, que se esforçou para ressaltar o aspecto sacerdotal do Cristo, e como o Boi é o animal sacrificial, seu codinome tornou-se este.
Estes comentários quero crer, concluem as análises deste belíssimo símbolo, e, se Reginaldo não me deixar desanimar, o princípio de muitas outras interpretações.
Assim Seja.