Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sexta-feira, 23 de julho de 2010

O MÍSTICO E O COTIDIANO



Por Mario Sales, FRC,S.:I.:,M.:M.:






Os não iniciados e aqueles que começam na senda mística supõem , erroneamente, que os portais das escolas esotéricas são portais dimensionais e não marcos iniciais de uma longa caminhada.

Por isso crêem que basta cruzar estes portais, para que coisas estranhas e mágicas comecem a ocorrer em suas vidas.

Imaginam que, súbita e inexplicavelmente, depois de se associarem a escolas esotéricas , seus problemas, suas angústias, suas necessidades materiais desaparecerão ou sofrerão uma grande reviravolta para melhor.

A percepção posterior de que isto não ocorreu, causa em muitos desilusão, frustração, desalento. E assim como entraram, saem pela mesma porta, antes de alguns meses de caminhada.

Triste da Ordem Esotérica que se esforçar para mantê-los em seus quadros.

Estas pessoas não podem e não devem permanecer dentro de grupos diferenciados e místicos, principalmente porque lhes falta discernimento e equilíbrio.

Falta-lhes, em uma palavra, maturidade.

E sem ela o que nos guia é a providência divina, ou laços de outras encarnações, ou seja, vínculos para além do humano e dos comuns dos mortais.

Aqueles que não possuem tais vínculos, afastar-se-ão, e devem se afastar, para que não tragam mais problemas do que as bênçãos que poderiam receber desta afiliação.

Até entre iniciados reina este tipo de equívoco, de que a magia isenta as pessoas da necessidade de relacionamentos, de se esforçar para aperfeiçoar-se como ser social, como pai, marido, esposa, mãe , profissional.

É imprescindível que o místico seja um indivíduo materialmente razoavelmente bem sucedido, para que se possa falar de uma prática mística e esotérica também razoavelmente bem resolvida.

Não há véus que separem mais o profano do sagrado e , na verdade, para o místico consciente, tudo é sagrado.

Só que com o tempo ele começa a dar mais valor às coisas que achava deveria deixar para trás ao cruzar os umbrais de Ordens Secretas. Sua família, seus filhos, seu trabalho, ganham uma dimensão tão importante quanto sua atividade templária ou suas orações solitárias e meditações.

Até seus animais de estimação têm tanta importância quanto seu sucesso pessoal em tornar-se um ser humano melhor, já que “para o sábio humilde não existe diferença entre o brâmane educado, o elefante, a vaca, o cão e o comedor de cachorro”.

Foi-se o tempo em que os chamados homens e mulheres santas tinham o hábito de vestirem hábitos e batinas. Hoje santos e aqueles que ainda não são caminham pelas ruas com seus ternos, ou roupas mais simples, disfarçados na multidão que tudo encobre e oculta.

Seus problemas são os problemas de qualquer ser huamno. O que existe de diferente em um iniciado é a atitude interior com a qual encara os seus desafios cotidianos prosaicas e comuns e não como vive a margem dêles.

Este tempo de omissão terminou.

Todos estão convocados.

E a cada soldado, de acordo com sua patente, sua responsabilidade.

À luta então.Ou à diversão, não importa.

À vida, todos. O planeta inteiro é o nosso convento.