Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sábado, 16 de outubro de 2010

COMBATENDO A ANSIEDADE COM SISTEMA E ORDEM NO PENSAMENTO:

A Felicidade e o Progresso Mental como conseqüências do  Pensamento Disciplinado


Mario Sales FRC.:,S.:I.: e M.:M.:


Há várias formas de descrever a inserção do conceito de Sistema e Ordem, fundamental na doutrina rosacruz, .
Um uso intuitivo é aplicarmos sistema e ordem para melhorarmos nossa vida , estabelecendo rotinas, metas, planejamento para nossas atividades, etc. Isto garante progresso pessoal, material e psicológico e uma vida mais tranqüila e produtiva.
Outra forma, entretanto, de aplicarmos esta recomendação se refere a algo mais sutil: nosso pensamento. Termos um pensamento organizado e sistemático faz com que nossos raciocínios ganhem densidade e sejam mais objetivos.
Em nada isto prejudica nossa sensibilidade; pelo contrário, melhora a forma de extravasarmos nossos sentimentos e nossas percepções mais sutis, pois aqueles que pensam com mais clareza, pensam melhor; aqueles que têm um pensamento mais organizado produzem mais, são mais capazes de expressar suas idéias e contribuem para uma empresa ou uma sociedade melhor.
Para o místico existe uma vantagem a mais: como o campo de ação do místico é o campo do mental e da imaginação criativa, onde os referenciais espaciais e temporais do mundo material estão ausentes ou pelo menos não estão tão claros quanto no mundo material, a objetividade mental permite que entremos e saiamos do mundo mental com alguma habilidade, sem que percamos a nossa capacidade de manter o equilíbrio e o bom senso durante a experiência mística.
Por exemplo, no mundo do sonho, o mundo onírico. Existe o consenso, entre os rosacruzes, de que como numa lente, o sonho mostra imagens invertidas do real. Além disto, as experiências oníricas são muitas das vezes vagas, excessivamente simbólicas, de difícil interpretação.



Uma mente objetiva, que pensa com sistema e ordem, saberia mesmo no plano do sonho, captar os símbolos essenciais e resgatá-los ao despertar, rapidamente transferindo-os ao famoso caderno de cabeceira onde os rosacruzes, pelo menos os mais estudiosos, têm o hábito de registrar suas experiências. Como só o próprio indivíduo pode dizer o que seu sonho significa para ele, esta mesma sistemática e ordem ao analisar algo tão sutil como um sonho será de extrema utilidade na tradução de seu sentido oculto, pois interpretar é traduzir, é transcrever na linguagem das letras e das idéias aquilo que foi narrado na linguagem dos símbolos.
Ora, sistema e ordem, portanto, são coisas muito úteis, e um pensamento sistemático e ordenado não pode ser algo necessariamente ruim.
Nem todos pensam assim, no entanto, principalmente pessoas que não possuem sistema e ordem em seu pensamento e, provavelmente, em suas vidas.
Pessoas desorganizadas se sentem desconfortáveis diante da organização de outras com vidas e processos de raciocínio mais claros e ordenados que o seu.
Pessoalmente já testemunhei até irritação e alguma agressividade como reação do desordenado mental na presença de uma pessoa de pensamento claro.
A luz ofende as trevas, mesmo que de maneira inconsciente. Certas personalidades, desorganizadas, com emoções caóticas, ou pelo menos pouco elaboradas, sentem grande desprazer diante de um raciocínio encadeado. Ou tédio e fadiga, na incapacidade de acompanhar o desenrolar de uma argumentação mais bem fundamentada.
Vejo isto no consultório todos os dias. Tenho veleidades educacionais durante a consulta e como sou um clínico, meu papel também é o de educar. Gosto de conversar e orientar o paciente acerca dos detalhes de sua patologia, repassando com ele os sintomas, o prognóstico da doença em questão e mesmo as possíveis reações colaterais dos medicamentos indicados.
Faço isto por que gosto, só que nem todos os pacientes estão dispostos a ouvir. Existem aqueles que ouvem por educação, respeitosamente; outros, ainda, vibram com os detalhes, como se sua curiosidade satisfeita tivesse um efeito de bálsamo para seu sofrimento; mas existem aqueles que demonstram enfado desde os primeiros minutos e que desviam os olhos, abaixam a cabeça e deixam claro que não querem ouvir detalhes da sua moléstia, ou porque aquilo lhes parece demasiadamente complexo, ou porque não querem assumir a responsabilidade pela sua doença e se comportam como alguém que leva seu corpo ao médico como um carro ao mecânico, e se pudessem, largariam seu corpo no consultório e voltariam dias mais tarde apenas para pegá-lo consertado de volta.
É assustador tamanha apatia, tamanha falta de empenho em viver melhor, mas as pessoas podem ser assim.
E fazem parte do rol dos seres humanos, tanto quanto pessoas maravilhosas, outras com personalidades abatidas e desanimadas, preguiçosas mentalmente, tanto quanto fisicamente.
E assim, com mentes lentas, de pensamento letárgico, são incapazes de pensar diferente de Aristóteles, classificando o mundo em superiores e inferiores, dia e noite, de forma estática, sem vida, sem fluxo.
Mentes ágeis são quase dolorosas para estes indivíduos apáticos e geralmente lhes causam tanta irritação que a expressão “pensador racional” pode se tornar um xingamento.
E aí ouvem-se frases como “...você é um racionalista” ou, “seu pensamento é excessivamente racionalista”, etc , como se isto denegrisse a personalidade de quem escuta tais expressões.
É claro que razão elaborada não é um defeito. O pensamento racional muito menos. Razão é cultura. E cultura é refinamento pessoal, moral e espiritual.
Mesmo aqueles que querem melhorar sua sensibilidade artística não prescindem da melhoria de sua racionalidade, de sua cultura.
A técnica só se apura com o esforço, seja a cirurgia plástica ou a pintura e a escultura; a neurocirurgia ou a poesia.
Racionalidade, sistema e ordem, não são inimigos da Arte ou do sentimento. São catalisadores, estimulantes, aperfeiçoadores da expressão da beleza.
Já o desorganizado pouco produz, vive embrutecido em sua incapacidade de entender o mundo a sua volta, e é tomado via de regra por uma irrascibilidade e intolerância difíceis de controlar.
É preconceituoso já que não sabe lidar com sua ignorância ao contrário do sábio que vê na sua ignorância um estímulo e um desafio ao aprendizado.
Sistema e ordem não são só, portanto, uma forma de arrumar a mesa do escritório, ou de planejar nosso trabalho, nossas finanças, mas também uma técnica de intervenção na nossa qualidade de vida mental, pois a primeira coisa que o sistema e a ordem na mente provocam é uma brutal diminuição de nossa ansiedade, gerando normas de comportamento que facilitam nossa existência como:
1.Dividir todo problema que enfrentamos em partes, sejam problemas emocionais, afetivos, aritméticos ou intelectuais.
2.Resolver uma parte de cada vez.
3.Viver um dia de cada vez.
4.Concentrar toda nossa atenção na parte do problema que estamos trabalhando ou no dia que estamos vivendo, já que não existe passado, nem futuro, só o presente.
5.Reconhecer a natureza inquieta da mente e permitir que ela oscile seu foco, sem que nós mesmos abandonemos o nosso foco de atenção, separando a mente de nós e diminuindo sua influência sobre nosso estado de espírito.
6.Lembrar sempre dos 4 passos finais do Ashtanga Sadhana da Raja Yoga e aplicá-los a nossos problemas, os quais são Pratyahara (abstração), Dharana (concentração), Dhyana (Meditação) e Samadhy (iluminação), lembrando que o nível mais alto de Abstração corresponde ao nível da Concentração, e que o nível mais alto de Concentração nos leva ao estado de Meditação; e que a Meditação mais perfeita nos leva, automaticamente, ao estado de Bem Aventurança e Iluminação, mesmo que por alguns instantes.
Há muitos outros aspectos a considerar no Sistema e Ordem no pensamento e na mente, mas por enquanto estas reflexões já dão algum material para elaboração.
Menos aos desorganizados que ficarão muito bravos e incomodados com todo este raciocínio e provavelmente não vão nem conseguir terminar de ler este ensaio.
Pena, mas é assim que as coisas são.