Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sábado, 2 de junho de 2012

A ANSIA PELOS FENÔMENOS PARANORMAIS COMO IMPEDIMENTO AO DESENVOLVIMENTO MÍSTICO DOS INICIADOS


por Mario Sales, FRC.:, M.:M.:,S.:I.:



Num artigo publicado originalmente na revista "The Mystic Triangle" em maio de 1929, e republicado em O Rosacruz do primeiro trimestre de 2005, em tradução de Cecilia Erthal, SRC, Spencer Lewis discute alguns aspectos ligados a vida e a obra de Madame Blavatsky e seu relacionamento pessoal com dois dos mais importantes mestres da Fraternidade Branca.


Blavatsky

Quase ao final do artigo, Lewis comenta:
"Numa das cartas famosas dos grandes mestres, endereçada a um companheiro de Mme Blavatsky, que constantemente exigia demonstrações e manifestações, nos deparamos com o grande Mestre Morya repreendendo esse cético nas seguintes palavras:
"Sim, e atualmente estamos no meio de um povo conflituoso, de um povo obstinado e ignorante;podemos exigir a verdade e, no entanto, não sabermos como encontrá-la, pois cada um a busca para seu próprio benefício e gratificação particulares sem pensar nem um pouco nos outros."
Morya

Em outra carta -  continua Lewis -  o Mestre Morya repreendeu o mesmo homem por causa de seus desejos de demonstração, com as seguintes palavras:
"Também tente romper essa ilusão contra a qual os estudantes de ocultismo, pelo mundo todo, sempre foram advertidos pelos seus professores - o desejo ardente pelos fenômenos. Como a sede pela bebida e pelo ópio, ela cresce de forma gratificante. Se você não consegue ser feliz sem os fenômenos, nunca vai aprender nossa filosofia. Se você quiser pensamento filosófico saudável, e consegue se satisfazer com isso, vamos nos corresponder. Vou lhe contar uma verdade profunda dizendo que se você não escolher nada mais do que a sabedoria, todas as outras coisas vão lhe ser dadas por acréscimo - quando chegar a hora. Força alguma é acrescentada às nossas verdades metafísicas pelo fato de nossas cartas caírem do espaço e aterrissarem sobre o seu travesseiro. Se nossa filosofia estiver errada não é um milagre que vai corrigi-la. Ponha essa convicção na sua consciência e vamos conversar como homens sensíveis. Porque deveríamos brincar de caixa de surpresa?"

Transcrevo essas linhas para embasar mais uma vez meus argumentos a favor de uma visão mais moderna do esoterismo, onde os rituais e os objetos destes rituais não sejam mais importantes do que as verdades e conceitos que eles buscam representar.
Existem pessoas, não iniciadas e mesmo iniciados que não aprenderam esta simples lição: magia não é pirotecnia, luzes e cores como num show de rock. A verdadeira herança dos Mestres é mais profunda do que isso, alquímica pela delicadeza  e lentidão com que se instala em nosso ser e em nosso espírito, um tempo precioso que não deve ser acelerado, o que acarretaria uma produção menos sólida, menos estável, da mesma maneira que um prédio, sem os devidos cuidados de fundação e engenharia tende a desabar depois de pronto.


Blavatsky cercada por seus mentores

Iniciados verdadeiros vão entender o que vou dizer.
O fluxo de força que atravessa o verdadeiro mago é tão poderoso que é preciso e absolutamente necessário que não haja nele, neste mago, nenhum tipo de obstrução a este fluxo, como aquela causada pelo ego e pelo apego às coisas materiais. Nenhum poder existe em nós que não tenha sido dado pelo alto. Nenhuma força possuímos que não seja parte da grande força universal que a tudo e a todos alimenta.
Esse Nous não pode e não deve ser subestimado. Se o canal por onde flui a força não está apto a suportar a pressão deste fluxo, será destruído por ele, da mesma maneira que o filamento frágil se rompe quando a energia elétrica que o percorre é superior a sua capacidade de resistência.
É isto que Morya diz em sua carta, é esta a advertência que faz aos tolos que querem colocar o carro na frente dos bois.
Lembremos Lucas 12:31:"-Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."
Por isso a intolerância com um misticismo de autoaperfeiçoamento e a obsessão por um Ocultismo de efeitos especiais.
Todos querem ver Anjos, mas ninguém quer ter o trabalho de ser um deles.
Isto não leva a bom termo. Só ao sofrimento e a decepção. Segundo Saint Martin, muitos membros da Ordem de Martinez de Pasqually perderam a razão. E mais atrás, antes de Sir Francis Bacon, a história de John Dee mostra como um homem inteligente e erudito pode se transformar num tolo e escravo de outro tolo, Edward Kelley, cínico e charlatão.
Como diz o ditado, sábio é aquele que aprende com o erro dos outros, não com os seus.
Sejamos sábios.