Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

CONVERSANDO COM MONICA


diálogos com leitores



Diz a sóror Monica:
Tenho acompanhado as discussões neste blog que acredito serem válidas. E expresso aqui o que sinto quanto ao acompanhamento pela Ordem da formação dos membros - é a vida que faz o acompanhamento, quando se recebe uma iniciação em loja, na sequência vem uma iniciação da vida, para avaliar se o membro passou mesmo de um grau a outro. No templo recebemos informações para relembrar os níveis de Consciência que já somos, alguns relembram com a iniciação outros não e permanecem como estão. no teste da vida, alguns se dão conta que é mais um nível da iniciação e outros não. Assim, quem está apto a passar pelo teste, o fará conscientemente. É a forma que o Sagrado tem de se preservar, o Sagrado só se revela para quem estiver pronto. Não cabe a Ordem fiscalizar, monitorar ou acompanhar o desenvolvimento de seus membros como uma escola primária. O despertar da consciência é individual com um ritmo particular para cada ser único, não é algo monitorável da forma como o fr. coloca. Aprecio a ideia de se criar um fórum, ou grupo de estudo e partilha dos conhecimentos, desde que estes fóruns não sejam palco para egos proeminentes expressarem seu nível de conhecimento, transformando os encontros em monólogos enfadonhos, e sim, sejam fóruns circulares, de compartilhamento de ideias, dúvidas, conhecimentos, sabedoria e principalmente vibrações de amor e luz...onde os frateres e sorores possam comungar no verdadeiro sentido.
Sóror Monica Lampe

minha resposta:
Sóror
Que a vida é a "professora pública" como dizia Nietszche, concedo.
Que as monografias não são o único caminho, com certeza não são, fazem parte do processo, são uma das pernas do banco aonde sentaremos.
Que " o despertar da consciência é individual com um ritmo particular para cada ser único" e que este aspecto da evolução não possa ser monitorado, também concordo.
Mas que " não (caiba)  a Ordem fiscalizar, monitorar ou acompanhar o desenvolvimento de seus membros como uma escola " discordo em gênero, número e grau.
Existem dois tipos de perspectivas aqui misturadas.
Uma a avaliação da evolução espiritual, impossível de ser mensurada e acompanhada.
Outra, muita mais prosaica, é a evolução cultural do membro, em relação a cultura rosacruciana, as técnicas fundamentais, espalhadas ao longo das monografias, neste que é o mais longo curso por correspondência que se tem história.
É uma posição perigosamente omissa que tem gerado uma grande quantidade de estudantes desmotivados e sem noção de valores básicos de nossa tradição porque não o conhecem, por que não abrem nem seus pacotes quando o recebem, como descrito em outro ensaio daqui do blog por título" Sim , sou rosacruz, mas não praticante".
Se as monografias são enviadas em ritmo anárquico, sem critérios, sem avaliação de desempenho, então que não sejam  mais enviadas, elas não são necessárias.
fraternalmente
Mario Sales