Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

DEBATES, POSIÇÕES, PONTOS DE VISTA


Organizado e Compilado por Mario Sales




É certo que este blog é meu, um exercício solitário, como sempre deixo em epígrafe, mas isto é um paradoxo, já que é um blog.
É como a frase "livre e de bons costumes". Ninguém pode ser as duas coisas ao mesmo tempo, já que ou eu sou livre para fazer o que quiser ou sou um "homem de bons costumes", ou seja, estou preso eticamente a um tipo de comportamento social, consenso de uma época , lugar e sociedade como "bom". 
Blogs solitários são também paradoxos, já que são publicados para todo o planeta (tenho leitores eventuais de Londres, Inglaterra, e assíduos do Porto, em Portugal ou Mountain View, na Califórnia). 
E uma das companhias mais agradáveis neste exercício acompanhado são os leitores que comentam, que saem da zona de conforto, que tem o que dizer e dizem. 
Dois comentários me chamaram a atenção esta semana e gostaria de dividi-los com todos, porque como diz um dos comentadores, às vezes as pessoas não lêem os comentários. Como são antagônicos, coloco-os em destaque para iniciar um debate e quem sabe, arrastar mais participantes para esta discussão. 

Um Frater deixou um novo comentário sobre a sua postagem "COMPARTILHAR OU NÃO COMPARTILHAR: EIS A QUESTÃO.": 

A AMORC antes dos obscuros eventos que fizeram expulsar seu Imperator Gary (será que podemos expulsar nosso iniciador?) era muito mais atuante e participativa. Na era CB (Cristian Bernard) tudo está tão parada que ano após anos apenas vemos a maioria das lojas perdendo frequência e membros...
Gostaria de propor a reflexão sobre um texto que vi essa semana questionando a intervenção rosacruz a pedido de RML(Ralph Maxell Lewis).

O Medifocus era uma manipulação rosacruz?

Após a morte de Spencer Lewis em 1939, o movimento rosacruciano teve sempre a mesma administração? Por exemplo, durante alguns anos, antes de terminar no início dos anos 70, alguns exercícios, como o “Medifocus”, tinham por objetivo influenciar personalidades políticas. Assim, no quadro de um programa humanitário, alguns nomes de responsáveis políticos eram seguidos de um nome código, descrevendo os pensamentos a transmitir, dos quais a idéia original era fundamentalmente uma ação benéfica para a humanidade, um esforço humanitário digno rumo à paz mundial. Era uma coisa boa ou um distanciamento? Será que o “Medifocus” respeitava o livre arbítrio das pessoas?

Eis o código:
Pensamentos Especiais:

ANKH: Reconheça nos homens os meios de expressão individual.
TOLL: Seja tolerante em relação às concepções opostas.
JOLE: Compreenda a necessidade de esforços para o idealismo universal.
NEO: Sente a vaidade e o erro da guerra empreendida para o regramento dos diferentes.
MAAT: A verdade deve prevalecer nas negociações para estabelecer a confiança.
EXPED: Aplique a igualdade de princípio àquilo que, momentaneamente, pareça a propósito.
DISC: Aplique os princípios da disciplina pessoal para o pleno uso de vossas faculdades.
RECOG: Reconheça que os desejos físicos da humanidade não podem ser definitivamente suprimidos.
GRANT: Reconheça e admita os apelos razoáveis que fazem os homens bem intencionados.
POLL: Expresse suas emoções mais elevadas; elas constituem a verdadeira dignidade humana.
NAT: Pense antes na humanidade; as teorias políticas devem ser considerações secundárias.
FRUIT: Lembre-se de que os frutos da compaixão ultrapassam aqueles da paixão.
SCALE: Dê-se conta de que a justiça consiste em estabelecer um termo justo entre os extremos.
SUP: Saiba que não há povo com destino privilegiado; deve ser dada a cada homem a oportunidade de modelar o seu.
LOOK: Examine o rosto de seus compatriotas. Veja aí refletidas as mesmas inquietudes, os mesmos temores e as mesmas esperanças que se acham em cada país.
VICT: Pense nisso: o que é uma vitória que se estabelece sobre as ruínas e o desespero?
Postado por Um Frater no blog IMAGINÁRIO DO MARIO em 3 de janeiro de 2013 07:44


E aí, segue-se o outro comentário, em contraponto.


O Buscador deixou um novo comentário sobre a sua postagem "COMPARTILHAR OU NÃO COMPARTILHAR: EIS A QUESTÃO.": 

E lá vamos nós... Caro frater, não vou aqui entrar na discussão Gary X AMORC ok? Bom, isso posto, devo lhe dizer que fiquei nostálgico ao lembrar de tais "códigos secretos" que recebi nas minhas primeiras instruções da AMORC e não acredito de forma alguma que este tipo de trabalho seria uma forma de manipulação ou desrespeito a livre arbítrio das pessoas. Se não me engano havia um ritual no templo com o mesmo nome e que era aos domingos também. Sempre o entendi como um trabalho místico-humanitário, que inclusive ainda existe na AMORC mas dirigido a todos os dirigentes do mundo em certos rituais.
Quanto a frequência, de fato ela despencou. Mas compare os anos 70, 80 e 90 e agora. Quanta coisa mudou! Temos, se quisermos, esoterismo no celular!, materiais e materiais a disposição em bancas, livrarias e na NET, nem se fala! até a FUDOSI está lá. Grupos e mais grupos esotéricos ou pseudo-esotéricos. Ordens e mais ordens esotéricas. O mundo simplesmente mudou e acelerou muito! Me parece que o ¨"lento" processo de evolução oferecido pelas ordens esotéricas através de instruções escritas, iniciações, experimentos, meditações "demoradas" etc etc, não se encaixam neste mundo absurdamente rápido... Puxa! dizer que os apelos abaixo listados atrapalham a frequência das ordens esotéricas seria mesmo um absurdo??? Olha a lista: shopping centers, cinemas, festas,internet, canais interessantíssimos de TV, baladas (para os mais jovens rsrsrs), viagens a baixo custo, delivery de, virtualmente, qualquer coisa em casa e por aí vai... A exacerbada busca pelo exterior, pelo ter em detrimento do ser...
Faz alguns poucos anos, alguém me mandou um link da revista “The Economist” com um artigo a respeito da preocupação da Grande Loja maçônica inglesa (se não me engano) dizendo da queda abrupta de emissão de certificados de mestres e comentando a respeito do desinteresse do europeu pela maçonaria.
Outro dia participei de uma cerimônia aberta numa Loja aqui na cidade onde sou frequentemente convidado para festas e percebi que os oficiais eram os mesmos que estão ali servindo a anos. O mesmo aconteceu quando encontrei um membro da Loja Teosófica a qual fiz parte nos anos 70, o mesmo pessoal com poucos novos...
Com certeza precisamos adaptar ao mundo moderno e melhorar muitas coisas na AMORC e diria até em outras ordens as quais já pertenci, mas não dá para creditar tudo na era CB, independente do que tenha ocorrido.
Para finalizar, evoco os dizeres do frater Mario em um dos seus artigos, falando das pessoas que fazem a AMORC e estendo isso às demais ordens... Quanta gente boa há por lá e que fazem desses locais verdadeiras fraternidades!!! Tenho em minha mente que independente de tudo a Rosacruz é perene, está acima de tudo e que manifetar-se-a sempre e sempre na entidade, local, ou coração em que haja pureza e condições elevadas para cumprir sua eterna Missão. Paz Profunda e um grande abraço!
Postado por O Buscador no blog IMAGINÁRIO DO MARIO em 3 de janeiro de 2013 10:30